¡Un cuarto de siglo!

Posted on 9 setembro 2006

4


O que se pode fazer em um quarto de século?

Bom, a resposta a essa pergunta pode ser muito simples: pode-se fazer muitas coisas. Pode-se casar, pode-se ter filhos, pode-se comprar uma casa, pode-se comprar vários carros, pode-se ter várias namoradas, pode-se ter nenhuma, pode-se mudar de emprego inúmeras vezes, pode-se viajar muito, pode-se ler muito, ver muitos filmes, pode-se conversar muito, pode-se encher a cara inúmeras vezes, pode-se conhecer muita gente… Ou se pode não ter feito muita coisa. Tá, e daí, mas o que se pode fazer em um quarto de século?

Pergunta bem capciosa essa. A resposta para ela pode ser também bem complicada: um pouco de cada uma das coisas ditas acimas e mais um pouco de um monte de outras coisas. Como resumir então 25 anos?

Poderia-se resumir da maneira mais comum possível:

Nasci em 9 de setembro de 1981, na cidade de Criciúma, Estado de Santa Catarina. Sou filho de Luiz e Rosemeri. Aos 3 anos (não sei a data ao certo) meus pais se mudaram para Brusque e me levaram a tiracolo (literalmente). Aos seis anos nós mudamos para Curitiba. Aos 17 começo Filosofia e Letras. Aos 22 me mudei para a França. Morei em Paris e em Clermont-Ferrand (ouh la la la la la la vache!). Com 23 voltei para Curitiba e aos 24 terminei a faculdade. Um pouco antes de ter 25 me mudo para Buenos Aires. Fim.

Mas será que isso resume um quarto de século? Se esse um quarto de século fosse a vida de um camponês da Idade Média que está por acaso aparecendo em um livro de História, até que poderia servir. Mas esse um quarto de século é tudo o que eu tenho e já tive. Parece-me pouco demais resumir tudo em 5 ou 6 linhas. Deveria ser mais. Tampouco posso começar a escrever detalhadamente esses meus 25 anos. Quem sabe eu levasse mais 25 anos fazendo isso e, depois que o tivesse feito, eu diria, quando completasse metade de um século, que passei um quarto fazendo exatamente o que descrevi no outro um quarto. Seria uma estupidez.

Como reunir então 25 anos (que para mim é muito porque é o único que tenho) em 5 parágrafos? Talvez não seja possível, talvez tenha e eu ainda não tenha descoberto como.

Hoje, dentre todas as pessoas com quem conversei para me darem parabéns, falei com o meu pai. Entre outras coisas, ele me disse, ipsis litteris: “É, caboclo, 25 já! A vida passa rápido, né?” Quê dizer? Sim, pai, passa rápido, muito rápido!

Post scriptem

Quisiera desear feliz cumple a Mercedes y a Tomás.

Queria deseja feliz aniversário para a Fer.

Gostaria de prestar homenagem a Tolstói, que também nasceu hoje.

Por fim, queria agradecer ao Camilo pela tortinha de morango e doce de leite hoje de manhã. Valeu, De la Croix!

Posted in: Uncategorized