And the Oscar goes to…

Posted on 9 fevereiro 2007

1


to Maikon Augusto Delgado, pela melosidade, açucarice e delicodocice do seu último post, diz o apresentador, de pé do lado de alguma loira peituda gostosa, sorrindo como se estivesse feliz por mim.

Subo no palco, eu sim feliz por ter ganhado mais esse Oscar (também fui premiado com o de Melhor Ator em curta-metragens pela minha excelentíssima atuação em Inmigrante Moderno e Melhor Reflexologista por ter descoberto o reflexo da luz cenital na colher em O segredo de Beethoven), e faço o discurso já conhecido de alguns de vocês.

O primeiro comentário que recebi, momentos depois, foi do meu excelentíssimo roomate, Camilo de la Croix: “Não chorou, né?”. O segundo, de um amigo da França: “Virou menininha?”. O terceiro, de um amigo: “Como foi lá em Los Angeles na entrega da estatueta?”. O quarto, de uma amiga (a única que viu a coisa do jeito que tinha que ser visto): “Ai, achei tão sinceros os teus agradecimentos!”. Uma pessoa sábia ela. O quinto: “Já pôs o Oscar na prateleira? Tá orgulhoso?”. Bom, e por aí vão.

Sendo assim, queria agradecer a todos, mais uma vez, por todo o amor que têm me depositado e pela ajuda imprescindível para o meu crescimento espiritual. Por fim, queria dizer, a todos e cada um: Ma andat´affanculo!!!

Um homem não pode mais ter seus momentos Ursinho-Carinhoso! Ou, como diria eu mesmo: Que viadagem!

Sugerencia del troesma

Para aqueles que já pensam que eu sou um velho, que sou tarado e que estou me tornando a junção disso, um velho tarado (viejo verde, em castelhano), digo a todos que sim, que estou sim me tornando isso. Não bastasse ler as confissões de um velhote de 90 anos tentando comer uma virgem e, durante todo o livro, não conseguindo e dizendo que o amor supera o sexo, andei lendo esses dias um livrinho bem do safado, o qual já aconselhei a mais de um amigo e amiga: Sexo Anal, uma novela marrom, de Luiz Biajoni. Os mais conservadores vão querer me execrar por lhes estar indicando um livro com tal título. Estapafúrdia, pouca-vergonha, etc., etc., etc. Mas mesmo assim aconselho: leiam Sexo Anal. Por mais que fale exatamente do que o título traz, de dar o cu, é um livro inteligente, com uma trama diferente, baseada em algo inusitado e que, incrivelmente (todas as pessoas a quem aconselhei o livro e que leram me disseram o mesmo), você não consegue parar de lê-lo até chegar no final. Sendo assim, lá vai a dica. Divirtam-se e não se acabem com o pesce in mano (os versados no dialeto romano saberão muito bem o que significa): Sexo Anal.

Posted in: Uncategorized