Domingão em Buenos Aires

Posted on 28 maio 2007

0


Se eu estivesse no Brasil, certeza que em algum momento do meu domingo me depararia com o inesquecível e execrável Faustão e quem sabe com o Fantástico e o Show do Tédio. Como não estou, tive que pensar em algumas opções para ter o que fazer.

Já vinha estando em casa, recluso, tranqüilinho no meu canto e fugindo do frio desde a quinta-feira de noite. Pensei então: “Bah, seria interessante ver se ainda existe mundo lá fora, não é?” Até fiquei na dúvida se as coisas ainda estariam lá. Resolvi, pois, encarar o frio e sair. Programa? Ir no MALBA (Museu de Arte Latinoamericano de Buenos Aires), ver a exposição do David Lachapelle e aproveitar o ensejo e ver um documentário sobre um livro do Cortázar. Ótimo então. Roupa posta, blusa posta, meias postas, cachecol no pescoço e cara na rua! ¡Estaba fresquito, fresquito, che! Cheguei no MALBA surpreendido: o museu é muito mais bonito do que eu estava esperando. Realmente fiquei de cara. E por dentro ainda mais bonito. Além de limpo, organizado, amplo. Um típico bom museu francês. Quem diria que encontraria um assim aqui?

Como já mencionei, tinha ido com a idéia principal de ver a exposição do David Lachepelle, mas acabei me deparando com uma outra exposição do Alfredo Volpi também muito boa. Tinha ainda outra de arte abstrata muito legal! Me senti uma criança no meio daqueles trens bizarros.

Fui então na do Volpi (não sabia muitas coisas dele; achei o cara interessantíssimo), fui na de arte abstrata e só então que fui no Lachapelle. Claro que estava me resguardando o melhor. Quando entro, já de cara dou com uma foto da gostosíssima Angelina Jolie, ainda com a tatuagem com o nome do Billy Bob Thornton no braço, e sua bocarra.


Em seguida, o prazer de ver Naomi Campbell nua em uma foto do Lachapelle.



As fotos seguintes todas fantásticas (elas sim são fantásticas, não o Fantástico). Por fim, já no final da exposição, montaram uma pequena sala que exibia os videoclips que ele fez.

Já quase na hora do cinema, fui eu para o auditório do MALBA. Impressionante! Um museu que merece respeito. O filme propriamente dito não merece nem alusão. Já o livro, para quem não sabe, se chama Los autonautas de la cosmopista. Trata-se de um livro-experiência de Cortázar e Dunlop, sua mulher, que consiste em fazer Paris-Marselha de carro e parando em todas as paradas de repouso que haja no caminho. Cortázar e Dunlop planejaram a viagem para 33 dias, sendo que à medida que avançavam também iam escrevendo um livro contando suas experiências. O livro vale a pena, já o filme… Só se for mesmo por curiosidade, como no meu caso.

Pois é assim, uns vêem Faustão e enchem o cu de cachaça e carne no domingo, eu fui no MALBA. Recomendo. Pelo menos não estou cultivando o pánceps.

Sugerencia del troesma

Nada mais nada menos que o próprio MALBA. Se um dia vierem a Buenos Aires e gostarem de museus pequenos que não te cansam pelo excesso de obras, tipo o Louvre, este vai encantá-los.

Our freek world

Japonesa vive com bala na cabeça. Ela devia ter uma puta dor de cabeça da porra!

Posted in: Uncategorized