Grande pequeno país

Posted on 3 junho 2007

0


A cidade de Buenos Aires e a Argentina por si só têm milhões de particularidades. Muitas delas já foram citadas aqui inúmeras vezes e creio que não é o caso agora de citá-las novamente. Não obstante, uma delas, de que meio me dei conta só ontem, ainda não foi citada.

Não sei se vocês sabem alguns números dos nossos vizinhos platinos. A Argentina possui um território de mais ou menos 2.792.000 km², enquanto o nosso território é de 8.515.000 km². Mais ou menos umas quatro vezes mais. A população argentina versa pelos 39 milhões (estimativa de 2006), ao passo que nós somos mais ou menos 188 milhões, também mais ou menos umas quatro vezes mais. No entanto, Buenos Aires e região metropolitana tem cerca de 12 milhões, enquanto a nossa maior cidade e sua respectiva região metropolitana (Complexo Metropolitano Paulista) tem seus 29 milhões de paulistas. Se pararmos uns minutinhos e fizermos umas contas, vamos chegar aos seguintes cálculos.

Argentina – 39.000.000
Buenos Aires – 12.000.000
Ou seja, mais ou menos 30% da população do país inteiro se encontra em um único conurbano (uma grande “cidade”).

Brasil – 188.000.000
São Paulo – 29.000.000
Isto é, 15%.

Só este fato já nos diz muito, mas continuemos com o pequeno raciocínio. Enquanto no Brasil você tem pelos menos duas grandes cidades que se destacam, a saber, Rio e Sampa, na Argentina se tem uma mais destacável, a já conhecidíssima Buen Ayre. Além disso, o Brasil ainda tem uma diferença grande daqui. Enquanto existem três cidades que dividem as funções no Brasil (São Paulo capital econômica, Rio capital turística e Brasília capital política), na Argentina só tem uma. Há, é claro, outras cidades que são importantes, tais como Mendoza, La Plata, Mar del Plata, Córdoba, Rosario e Santa Fe, mas elas não têm a mesma importância que as suas equivalentes no Brasil (Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Recife).

Sendo assim, além de uma única cidade ser 30% de um país inteiro, ela é ainda a cidade mais importante em quase todos os aspectos. E qual é a sensação de morar em uma cidade que é praticamente um país inteiro, onde tudo acontece? Estranhíssimo. Quando se está no Brasil, em qualquer outra cidade que não São Paulo ou Rio, ouve-se falar das coisas que passam nestas duas cidades de uma maneira distante. É quase como se fosse outro país. Já, por outro lado, morando na cidade onde tudo acontece, tudo muda de figura. Tem-se a impressão de que tudo está acontecendo aqui e de que tudo o que pode acontecer vai ser aqui. Fora o fato de você encontrar volta e meia na rua pessoas importantes, da TV, do esporte, políticas. Quando é que você vai ter, morando em Curitiba, um artista de novela morando no prédio do lado? Pois aqui temos uma atriz de novela importante que mora do edifício vizinho. Estranho isso. Encontrá-la no Plaza Vea comprando mods é mais estranho ainda.

Este mesmo fenômeno acontece no Chile, e quem sabe até pior por ser o Chile ainda menor. Também é assim no Uruguai. Estar em um país que não é um continente por si só é muito estranho. E mais estranhas as coisas que acontecem em um pequeno país.

Sugerencia del troesma

Sem idéia para sugerir algo.

Our freek world

Tenha medo até de soltar pum de agora em diante: Google Maps.

Posted in: Uncategorized