Onde tudo começou

Posted on 25 agosto 2007

0


Sim, nós somos diferentes. Não comemoramos um ano de Buenos Aires (6 de julho), não comemoramos um ano de apê (28 de julho), não comemoramos um ano de estudos (para Camilo em julho e para mim agora em agosto), mas, de uma maneira até um pouco sórdida, comemoramos um ano de liberdade de Natascha Kampsuch. Para nós, mais que motivo de comemorar. Não só por ela, mas também por um ano de pérolas jornalísticas de nosso querido Camilonga, el trabajador del pueblo!

É por isso então que decidi fazer da pérola freek do dia a pauta de hoje. Deixo aqui com vocês duas reportagens sobre o seqüestro de nove anos da Natascha.

No mais, com aquela preguiça de mandar a preguiça embora, o blog acabou ficando um pouco às traças. Pobre coitado. Mas também é de se entender. Tinha mais o que fazer: eu, no meu caso, curtir a minha semsorte um pouco!

Se eu fosse um bom pecador, prometeria que ia começar a escrever de volta todos os dias, como se isso fosse me redimir do sétimo pecado capital. Mas, como todos sabem que uma vez cometendo um pecado capital não se tem volta, não vou ser eu aquele que vou me preocupar em não ir para o céu.

De qualquer forma, a vontade há de prevalecer. Ou então a força!

Saludos a todos.

Sugerencia del troesma

Ótimo curta. Vale a pena os minutos perdidos e a sujeição a vê-lo na péssima qualidade do VocêTubo.

Our freek world

Para você que fica aí teclando e procurando uma periguete, esperte-se: Internauta de Hong Kong.

Posted in: Uncategorized