O fim do fim e o começo do começo

Posted on 16 dezembro 2007

4


Temporada BsAs diz: “Chefe, passa a régua aí que tamo indo s’imbora!”

Sim, os tempos em terras rio-platenses se terminarão nesta terça-feira, dia 18 de dezembro de 2007, às 12h, depois de 18 meses de muito bife de chorizo con papa fritas y ensalada de lechuga y tomates. Os bravos, corajosos e artimanhosos tupiniquins de Little Horse se despedem de Caballito e da cidade dos kioscos e 42s. Destino: por hora aquele bom e velho Brasilzão sem porteira que tanto conhecemos.

E fica para trás nosso querido apê, que tanta gente recebeu no desaconchego do lar (Fran, Karla, Piperito pançudo – agora mestre -, Lorena, Zird, El Bigodón, Rafa “Ninja Rafaia”, Waleskilda, amiga suíça do Camilo, amiga brasileira do Camilo, Pri, Carol, Nancy “tiazona”, Julien, Ricardo “el tío”, Alicia, Fer, Bruno, Mayra, Ana, Carol “A parça brusquense”, Márcia, Milena “Madá”, João “Putain de Merde” Arthur, Louise, Hernán, Érica), sem contar os amigos de sempre, presentes constantemente (Nena, Motorola, Jorgelín, Pipi, Ari, Pooh, Ariel, Amine, Lorna, Pajarito, Compadrito, Luc McAna)…

E fica para trás nossa querida Abuelita…

E ficam para trás nossos eternos, e por que não adorados, inimigos de sempre (Pato-Perro, los Muerciélagos, Flanelinhas)…

E ficam para trás nossos restaurantes preferidos (El Reencuentro, Café América e A Punto)…

E fica para trás a Camilo Empreendimentos, que tanto contribuiu em impostos para o avanço da economia argentina…

E ficam para trás os batuques intermináveis no Parque Centenario…

E fica para trás nossa lavanderia, que conseguiu fazer a façanha de encolher todas, mas absolutamente todas as roupas que tínhamos…

E fica para trás a TV tão querida, que tantos Two and a Half Man e 24 horas nos deu…

E fica para trás nossos pufs e colchões no chão, que sempre mantiveram o nível espartano de excelência desta residência…

E ficam para trás os pores do sol privilegiados que temos…

E ficam para trás as tardes sentados na varanda só jogando conversa fora e tomando un matecito

E ficam para trás os dias passados com dor nas costas devido a esta cadeira de merda que tenho…

E ficam para trás as noitadas jogando cartas, noitadas as quais Camilo era incessantemente humilhado pela pessoa que vos fala…

E fica para trás nossa querida Argentina, que entre altos e baixos nos acolheu como melhor pôde…

E assim vamos voltando, pouco a pouco (não porque queremos, mas porque de busão é sempre mais lento), esperando rever os amigos, botar a conversa em dia, jogar aquele baba no Cachorródromo, pensando na próxima viagem e quem sabe na próxima estadia no estrangeiro (onde? onde? só o tempo dirá!). Mas no fundo, é preciso continuar, porque, como diria o meu querido peluquero Hector: “Maikon, nadie te puede quitar el bailado…”

Obs.: devo, demoro, mas pago; sei que estou devendo as presepadas empreendidas ao longo da nossa última viagem.
Obs. 2: felicitem-me, este é o centésimo post de Bons Ares.

Posted in: Uncategorized