Estatísticas do blog

Posted on 26 agosto 2008

1


Para aqueles que não sabem, o WordPress possui uma ferramenta blogueira bem interessante. Chama-se “Estatísticas do blog”. Elas te fornecem um panorama estatístico geral da página.  Não pensem, porém, que se resume a um mero contador de views, como atestado em dois posts anteriores. Não, é muito mais que isso. É um apanhado de estatísticas bem mais completo e profundo, digamos.

Começa com o mais esperado: a média de visitas que o seu blog teve, relacionados por dia, semana e mês.

Estatistica diária, semanal e mensal
Estatística diária, semanal e mensal

Em seguida, você tem algo de que gosto muito. No meu WordPress, que está em francês por causa do Histoires de Voyageurs, vem o “Référants”, que é a indicação do link pelo qual a pessoa chegou ao seu blog.

Référants
Référants

Nas referências você tem coisas muito interessantes. Na imagem acima, por exemplo, tem-se que Bons Ares recebeu visita de uma pessoa que chegou até aqui pelo meu orkut. Ontem, por outro lado, de uma que chegou pelo Bons Ares do Blogspot e outra pelo Histoires de Voyageurs. Já vi gente vindo de sites que eu nem conhecia!

Na seqüência, você tem os posts mais vistos, etc. e o que eu acho mais legal: o “Critérios de pesquisa”. É uma lista do que as pessoas digitaram, seja no Google ou em qualquer outro buscador, para acabar caindo aqui no blog. Vejamos o exemplo abaixo:

Critérios
Critérios de pesquisa

Analisemos, pois, os resultados. Tem gente que chegou ao blog digitando “problemas do mundo capitalista”. Ou seja, o cidadão, todo preocupado com os problemas deste mundão véio sem porteira, inquirindo quais seriam as razões para tamanha desgraça ou felicidade, depara-se com um humilde blog cuja última preocupação é discutir os problemas essenciais deste que, segundo Leibniz, é o melhor de todos os mundos possíveis.

Outro caiu no Bons Ares perguntando-se se “a pílula faz mal o que se deve fazer”? Para começo de conversa, eu sinceramente não sei de que pílula a pessoa está falando. Depois, diria: se a pílula está te fazendo mal, pare de tomá-la, uai!

Um terceiro topou com o blog ao escrever “mesinha de café”. Me imagino a pessoa preocupada com que tipo de mesinha de café pode comprar para a sua cozinha. Pensa, repensa, indaga, imagina e decide ir na net e fazer uma pesquisa para ver se algo lhe abrilhanta os neurônios. Continuo imaginando essa pessoa entrando no Google, digitando “mesinha de café”, obtendo o link para o Bons Ares e clicando nele. Entra em um blog cheio de textos, quase sem imagens, e fica se perguntando: “Porra, por que é que eu vim parar aqui? Puta que o pariu!”.

Uma quarta pessoa, com seu passarinho meio doente e sem cantar, cabisbaixo que só ele, corre até o computador, faz os dedos irem mais rápido que o pensamento e digita “sobre o tema alpiste comida de pássaro”, pois crê que o problema com seu cantor de ópera enjaulado é o alpiste que lhe está dando. Com que se depara? Com a porra de um blog que de passarinho não tem quase nada.

Outro, o quinto, digita “alterofilista mijando”. Em primeiro lugar, como é que ele pensa encontrar alguma coisa decente digitando “alterofilista mijando” sem H?

Uma sexta pessoa, meio encalhada e planejando a sua viagem para Buenos Aires, decide fazer um enquete sobre se “os argentinos são bonitos” ou não. Olha, sobre isso não vou lhe dizer nada, mainha, exceto que a minha ex-namorada dizia que sim, que são bonitos, e que além disso ainda encaram você mesmo com o namorado, no caso eu, do lado. Em outras palavras, não são só bonitos como também mal-educados e folgados!

Por fim, um último conseguiu a grande façanha de chegar ao Bons Ares digitando “mordedor de fronha”. Só pode ser um punheteiro de internet. Só espero que não tenha tido sonhos eróticos com a minha ex-fotinho de entrada, tirada no metrô! É tudo o que eu peço. Deus é mais e o Pelé é melhor que o Maradona!

É senhores, não é só de chatice que a estatística vive. Pode-se extrair coisas boas dela.

Obs.: de que diabos deve se tratar a tal “síndrome da cabra”?

Posted in: Uncategorized