UYtrip – dia 10

Posted on 27 janeiro 2009

2


– Porra, mermão, duca essa balada! – gritou um carioca, já bastante bêbado e com aquele sotaque inconfundível.

Tão ébrio estava que dava para sentir a cara inchada de cachaça só de ouvir sua voz. 

– Porra, porra! – respondeu, aos gritos, um outro.

– Caraca, véio, tô breacaço. Vou deitar e capotar. – confessou o mais bêbado deles. 

E assim foi. E no beliche em cima do meu. Detalhe: o caboclo só teve o trabalho de desabotoar o jeans e adormeceu assim mesmo. Com tênis e tudo.

Tivessem dormido no banco da praça como esses. Teriam dado menos trabalho!

Tivessem dormido no banco da praça, como esses, teriam dado menos trabalho!

Enquanto os três cariocas estavam lá eufóricos e esfuziantes com os acontecimentos da balada, acordando todos com sua arruaça, o 4° carioca estava só de conversê com uma das cariocas que os acompanharam. Conversê, digamos, é jeito de falar. Ele estava mesmo é de groselhagem, de dolangagem, de xavecagem.

"Xavecar como um animal!"

"Xavecar como um animal!"

– Porra, vai, vamos lá. – insistiu o carioca.

– Não quero, porra. Não quero. – negou, enfática ou não, a carioca.

– Vamos lá. Rapidinho.

– Não quero, meu. Não quero te dar no banheiro.

– Porra, rapidinho. Vamos lá.

– Não, caraca. Não quero te dar. – respondeu ela com nítido tom de cu doce (até eu saquei que ela cogitava a hipótese para outro momento).

– Porra, como é que você não quer? Eu te deixei toda molhadinha só com o meu dedinho… – anunciou, em alto e bom tom, nosso carioca bêbado.

Te deixo toda molhadinha só com o meu dedinho!

Te deixo toda molhadinha só com o meu dedinho!

– Deixou, mas não quero. Não hoje. 

– Como assim?

– Ora, hoje eu não quero.

– Então quer dizer que tem dia que você sai de casa querendo dar e outros em que não?

– É.

– E hoje você saiu não querendo dar.

– Ah, moleque! Entendeu. 

– E, me diz uma coisa, então me faz só um boquetinho…

– Não, mermão. Não quero. Não hoje.

Em meio a essa conversa tão sublime, eu me vi quase rindo da cara dos dois. Como não? É quase surreal acordar com tão nobres intenções sendo anunciadas reciprocamente. Não pude não lembrar de um episódio que me pasó em Clermont-Ferrand (O episódio de Clermont), o qual oportunamente publicarei aqui. Ri sozinho. Por sorte não o fiz alto, para não atrapalhar a paquera alheia.

E foram dormir os dois, ele sem boquetinho e ela toda molhadinha só com o dedinho. Mas enquanto o dia deles estava terminando, o meu e o do Camilo estava só começando. Arrumamos nossa mochila, não sem muito barulho (Aqui se faz, aqui se paga!), e descemos para tomar café. Eu, dando uma de sem-noção, ainda “tropecei” com um locker de ferro antes de sair, fazendo muito, mas muito barulho. Os cariocas todas acabaram acordando, olharam para mim com sono e voltaram a dormir. Missão cumprida: infernizei-os um pouco!

Missão cumprida!

Missão cumprida!

Tudo dentro do Gonza, partimos rumo a Piriápolis.

Rumo a Piria...

Rumo a Piria...

E, em termos de hospedagem, saímos do inferno e chegamos ao paraíso. À exceção da badalação, o hostel de Piriápolis, o segundo maior do mundo (atrás só do de São Paulo), tinha tudo o que não encontramos em Punta: extrema limpeza, quartos habitáveis e arrumados com só 4 camas, café-da-manhã melhor…

Ainda exaustos da noite anterior e trazendo conosco o cansaço de dias mal-dormidos, despencamos, cada um em sua cama, e dormimos a tarde inteira. Ao acordar, demos uma volta pela orla da cidade, comemos, compramos livros (foi só em Piriápolis que consegui achar um exemplar de Memorias del calabozo, de Huidobro & Rosencof) e passeamos. 

Orla de Piriápolis

Orla de Piriápolis

Praias de Piria

Praias de Piria

À noite, ainda conhecemos dois ciclistas brasileiros de São Paulo que estavam percorrendo toda a costa uruguaia de bicicleta. Entusiasmados com uma platéia superatenta, contaram-nos suas peripécias a duas rodas. 

Encararia 1000km numa dessas?

Encararia 1000km numa dessas?

Fui dormir com uma puta vontade de me tornar um ciclista neste ano e empreender alguma viagem curta de bike aqui pelo Paraná. E sabem que o vadio do Camilo até se animou?!

 

 

Posted in: Uruguai