Veranito de San Juan

Posted on 2 setembro 2009

1


Antes de vir, falei com minha amiga por mail e lhe perguntei do clima, que sabia que estava frio. Me disse: traete abrigo y bufanda, porque nos estamos cagando de frio.

Como um bom menino, fiz o que ela me disse. Em Curitiba, embarquei com blusa de la e jaqueta. Em Asunción, onde fizemos uma parada, senti o calor que fazia, mas pensei: não há de ser nada.

Foi quando desembarquei em Ezeiza e senti aquele bafo vindo de fora do avião que me disse: la re puta que la parió, qué calor de putísima madre. Fazia 29 graus em Buenos Aires. Nem preciso dizer que a essa altura já estava suando e xingando minha amiga.

Nos dias seguintes, o calor só aumentou. 30 graus, 32 graus, 34 graus. 34 putos graus! Eu estava derretendo. Sombra e água fresca era a única coisa que podia querer.

Esses dias de calor no final de agosto, mês de muito frio em Buenos Ares, são conhecidos como veranito de San Juan. Em meio à friaca de júlio e agosto, alguns dias de calor para, ao quinta dia, dar lugar à tormenta de Santa Rosa, em que um pé-d’água homérico com granizo cai e restaura novamente o frio em Buenos Aires.

Em 2006, quando Camilo e eu chegamos aqui, pegamos veranito de San Juan e tormenta de Santa Rosa sem nem sabermos o que era. Por sorte, no dia em que o tempo virou, estávamos em casa lendo jornal e procurando apartamento. As pedras de gelo que caíam eram tão grandes que quebraram vidros, telhas, para-brisas e arruinaram os tetos dos carros que estavam pelo rua. Assim que voltar ao Brasil, ponho na internet o vídeo que fiz.

Pelo que diz a TV, esta semana será de chuva e temperaturas por volta dos 14 graus, e na semana que vem é possível que venha um frio de lascar. Confesso que é o que estou esperando.

 

Buenos Aires é muito mais charmosa no frio. Cachecol eu trouxe…